home-india-mitos

Mitos sobre a Índia

A Índia gera muita curiosidade justamente por ser um país que nem todos querem visitar.

Muitos amigos me fizeram perguntas quando voltei, então resolvi fazer um post de “mitos e verdades” para esclarecer algumas lendas que contam por aí. Lembrando que este post foi escrito com base nas experiências que tive na minha viagem e no que os guias de viagem nos falaram, então não dá para generalizar ok?

Mitos

Todas as vacas são sagradas

vaca-india

Primeiro mito e isso não significa que a vaca não seja sagrada mesmo.

Um guia me contou que a vaca é considerada como uma mãe, pois só traz benefícios como: dar leite, as fezes são utilizadas nos motores de barcos, etc. No entanto, as vacas são abandonadas nas ruas quando não dão leite. Isso quer dizer que todas as vacas que vimos andando pelas cidades foram abandonadas.

Quando isso acontece, a vaca é vista como símbolo de má sorte e se morrer na porta da sua casa (de sede ou fome), pode ser considerada um verdadeiro carma. Isso explica porque algumas famílias deixam baldes de água na porta de casa durante o verão.

De fato isso é bem triste, porque há muitas vacas procurando comida no lixo, com doenças e no meio de pessoas, motos, carros e cachorros.

Geralmente, quando a vaca dá leite eles colocam o animal até dentro de casa e dão banho e alimento.

O Rio Ganges é fedido

Ganges

Ao contrário do que dizem, não senti cheiro algum no Ganges.

Há dois crematórios no rio e apesar disso – pelo menos no dia que eu fui – não tinha cheiro de nada.

Todas as pessoas são “espiritualizadas”

A menina da foto me presentou com uma flor. Pedi para tirar uma foto com ela, ela sorriu e depois disse: "rúpias, rúpias" rs.

A menina da foto me presentou com uma flor. Pedi para tirar uma foto com ela, ela sorriu e depois disse: “rúpias, rúpias” rs.

Entenda “espiritualizadas” por algo como “paz e amor”, fazem tudo de coração, etc.

Não achei bem assim. Todas as pessoas tem muita fé, mas como o objetivo da minha viagem era turístico, achei tudo no país muito ligado à questão capitalista.

Claro que eles precisam sobreviver, mas qualquer experiência com turistas vira motivo para pedir dinheiro, principalmente foto com homens e mulheres com trajes típicos.

Mulheres precisam cobrir canela e ombros

Não se engane pela foto, estava 40 graus!

Não se engane pela foto, estava 40 graus!

Fui para Índia em maio o que implica em um calor de até 45 graus ao meio-dia. Pensando assim, parece insuportável… e é! rs. Ainda mais sabendo que eles consideram “sexy” canelas e ombros.

Fomos preparadas com roupas que cobriam essas partes, mas vimos diversos europeus com shorts, regatas, vestidos.

Recomendo muito que você não mostre nenhuma parte do corpo em excesso. Se for visitar templos tem que cobrir mesmo, mas se passar um dia apenas visitando os Fortes ou até mesmo para jantar no hotel, aconselho ao menos uma saia midi e regatas para não sofrer tanto.

As famílias ainda escolhem com quem você irá se casar

casamento-india

Não funciona mais dessa forma, apesar de ser uma possibilidade principalmente em povoados menores.

Os guias nos disseram que eles podem sim escolher uma namorada ou uma mulher para a família fazer a negociação do dote. O dote é oferecido pela família da mulher justamente porque ainda é obrigação do homem sustentar a família e a casa o resto da vida.

As mulheres não trabalham

mulheres-india

Ainda é rarissímo ver mulheres trabalhando em restaurantes e hotéis por exemplo. Porém, muitos trabalhos pesados – como o carregamento em pedras – é feito por homens e mulheres muito simples.

A verdade é que se a mulher não se casa ou fica viúva na Índia, isso se torna muito pesado para ela na sociedade.

As pessoas nas ruas são parecidas com as que aparecem na publicidade

Muito pelo contrário e fico pensando como isso não afeta a autoestima das pessoas.

Tanto em videoclipes como na publicidade, os homens e mulheres são muito diferentes das pessoas nas ruas. Na minha visão isso cria uma distância gigantesca entre o rico e o pobre e ainda conta pontos para manter “cada um na sua casta”.

 

Se você teve alguma experiência diferente na Índia, escreva nos comentários :)

Clique aqui e veja também o post sobre Verdades da Índia.

Patricia Furlan

Publicitária, psicanalista e apaixonada por viagens.

Comentários

Comentários

Posts Relacionados

Leave a Comment

Sobre a autora

Olá! Meu nome é Patrícia Furlan e sou paulistana, publicitária, psicanalista e apaixonada por viagens! Aqui você encontra minhas dicas de roteiros, cultura, gastronomia e experiências de turismo.

Booking.com