Foto: Anthony Pidgeon

Jamaica a bordo

No momento em que sorrimos para alguém, descobrimos-lo como pessoa, e a resposta do seu sorriso quer dizer que nós também somos pessoa para ele”, afirma Saint-Exupéry.

O sorriso traduz um estado de alma. Você pode sorrir quando tudo vai bem ou sorrir mesmo quando as coisas não vão tão bem – tudo se resume na harmonia interior. E foi harmonia que encontrei nos meus primeiros minutos na Jamaica. Uma composição feita de sorrisos, notas musicais e belezas naturais.

Meu desembarque foi a simpática e pequena Ocho Rios. A chegada no porto já é um espetáculo de águas cristalinas e de um turquesa que faz brilhar o olhar mais comedido promovendo o primeiro de muitos sorrisos na ilha.

Pier Montego Bay

Pier Montego Bay. Foto: Lily Ling

Lugares que merecem uma visita

Ocho Rios é uma cidade simples e vale apenas uma volta para perceber que as praias belíssimas que emolduram a ilha merecem uma visita. A Jamaica tem lugares especiais. Cachoeiras de águas cristalinas que desembocam no mar, praias protegidas por barreiras naturais de recifes e pequenas lagoas. Grandes formações de rochas calcárias se harmonizam com o azul do mar. É preciso circular mesmo ciente que a parada do cruzeiro é curta e escolher um canto para viver sua preguiça. Há muitas coisas para se ver e fazer e, se não estiver num cruzeiro, vá passar uns dias em Negril e conhecer a pequena Kingston em outro.

Ocho Rios

Foi minha primeira vez na Jamaica (voltei 2 anos depois) e ainda estava curioso para conhecer Negril e Kingston, mas a escala do navio Voyager of the Seas foi muito bem escolhida. Em primeiro lugar pela localização. Ocho Rios fica a uma hora de Port Antonio, duas horas de Montego Bay, três de Negril e duas de Kingston. Os arredores, para aqueles que estão num navio, são fantásticos. Tudo é perto e lindo.
• Dunn’s River Falls – uma cachoeira e um mergulho imperdíveis.
• Frenchman’s Cove – uma praia que você sempre sonhou.
• Blue Lagoon – uma lagoa para você chamar de “minha”.
• James Bond Beach – de onde o escritor Ian Fleming tirava sua inspiração.
• Nine Mile – vilarejo onde nasceu Bob Marley.
• Port Antonio – praia descoberta por Errol Flynn.

Vale registrar que escolher Ocho Rios é viver a tranquilidade na sua totalidade. As enseadas são pequenas e tem sempre pouca gente.

Na segunda vez que fui a Jamaica fiz o trajeto Kingston – Ocho Rios de carro em duas horas por uma estrada que passa pelas Blue Mountains com 45 quilômetros de extensão, de leste a oeste, e é a maior cordilheira da Jamaica. Seu maior pico tem 2.200 metros de altitude. As Blue Mountains têm fama internacional pelos grãos de café que produz (se você é um apreciador de café tem passeios para visitar os cafezais e conhecer o modo como eles processam os grãos além da degustação) para todo o mundo.

Neste trecho da estrada tem a cachoeira Somerset Falls. Vale a parada para dar um mergulho e tirar muitas fotos.

Dunn’s River Falls, tira o fôlego de qualquer um e fica a 3 quilômetros a oeste de Ocho Rios. São várias quedas d’água que desembocam no mar. O ingresso custa 20 dólares e mais 20 para o guia (indispensável) te orientar na trilha. Eles conhecem a cachoeira como a palma da mão e conduzem você numa subida linda e emocionante de 300 metros por dentro d’água.

Também é preciso ter sapatos de borracha para entrar. O aluguel é U$S 7.

Ocho Rios - Dunn's River Falls

Ocho Rios – Dunn’s River Falls. Foto: Karen Hastings.

Swing

Uma composição de notas musicais, inspirada em uma pequena ilha do Caribe, conquistou uma legião de fãs em todo o mundo. Foi na Jamaica que o reggae nasceu, passou por diversas influências até se tornar a música oficial de Bob Marley, que, atualmente, é ouvido por milhares de pessoas.

Antes do reggae balançar corpos sorridentes e os rastafaris, o país presenciou diversas misturas de culturas que originaram o ritmo consagrado por Bob. Com a chegada dos escravos africanos, houve o cruzamento da música negra com as tradicionais canções piratas da região caribenha. Este encontro deu origem ao primeiro estilo musical jamaicano: o Mento.

Daí para frente o ritmo conquistou o mundo com o nome de reggae!

Então, para os amantes das navegações, com hora marcada para retornar ao porto, vale a pena focar nas sugestões acima para que sua experiência nessa ilha sorridente te faça lembrar com muita alegria do mar azul, do ritmo e de largos sorrisos.

Foto: Anthony Pidgeon

Foto: Anthony Pidgeon

sergio-ignacio
Sergio Ignacio

Jornalista, psicanalista e pós graduado em sociopsicologia. Viajante desde cedo encontrou na relação com o mar uma forma de olhar para o continente e suas descobertas que o fez pensar e apreciar o tempo e as novidades por vir a partir do ritmo e da atmosfera dos oceanos.

Comentários

Comentários

Posts Relacionados

Leave a Comment

Sobre a autora

Olá! Meu nome é Patrícia Furlan e sou publicitária, futura psicanalista e apaixonada por viagens. Aqui você encontra minhas dicas de roteiros, cultura, gastronomia e experiências de turismo.

Booking.com
Reserva Agora 300x250