Jamaica (praia  a 2 horas de Ocho Rios em direção a Geejam). Foto: Scot Dunn

Quando passei a conhecer o mundo pelo mar

por Sergio Ignacio

“…todos andam rapados até por cima das orelhas; assim mesmo de sobrancelhas e pestanas. Trazem todos as testas, de fonte a fonte, tintas de tintura preta, que parece uma fita preta da largura de de dois dedos. Mostraram-lhes um papagaio pardo que o Capitão traz consigo; tomaram-no logo na mão e acenaram para a terra, como se os houvesse ali.”

Escreveu, Pero Vaz De Caminha, no seu primeiro registro as impressões de uma terra que, posteriormente, recebeu o nome de Brasil.

Este e outros trechos da carta são, para qualquer entusiasta e desbravador de outras terras, um dos maiores motivos que temos, de acordo com os caminhos que o universo nos oferece, conhecer outras culturas, línguas e costumes. E comigo isso aconteceu, de certa maneira, como foi para Caminha. Pelo mar!

porto_rico_viagemdefuga

Porto Rico cidade colonial com muitos prédios tombados e com uma cozinha de comida creola de tirar o fôlego. Foto: Sheraton Hotels

Ainda me lembro da primeira vez que entrei no porto como passageiro. Além da habitual organização mental de quem vai viajar (mala,documento,valores e seguro) a leve vibração das águas do porto já reverberavam no meu coração e faziam meu corpo flutuar em terra firme. Um ritmo novo passou a frequentar minha vida, olhar e atitude em relação as descobertas. Um outro tempo… o tempo da travessia do mar e sua relação diária com o amanhecer e entardecer no oceano. As estrelas, os tons de azul, a rotina a bordo começaram, em cada uma das experiências, cerca de 60 cruzeiros, sempre uma nova aventura. Não apenas por um novo navio mas pela possibilidade de se conhecer outros países e mares onde descobridores e aventureiros contaram e fizeram suas histórias.

E, é assim, que pretendo contar um pouco de cada uma das minhas viagens – sempre pelo mar – para que você possa levantar sua âncora e se entregar para uma aventura nos milhares de kilometros de costas verdes azuladas que são molduras de continentes incríveis que você pode conhecer chegando pelo mar.

Eu comecei pelo Mar do Caribe, visitando Porto Rico, Jamaica e St Marteen. Foi um show de sorrisos, anil, patrimônios históricos e muita comida creola.

St Marteen: a cultura holandesa e a francesa na mesma porção de terra e com as praias mais disputadas do Caribe. Foto: Sergio Ignacio

St Marteen: a cultura holandesa e a francesa na mesma porção de terra e com as praias mais disputadas do Caribe. Foto: Mago Beach Tourism Media

Bem vindo a bordo! Por aqui e no @semprepelomar te conto sobre as aventuras caribenhas e dos outros mares – Pacífico, Golfo do México, Atlântico, Báltico, Mar Arábico, Golfo Pérsico entre outros… inclusive a Antártica!

A intenção é compartilhar com você o mundo pelos “olhos” do mar e te ajudar a escolher destinos, rotas, navios e selecionar os passeios, o lazer e dar dicas para que os seus dias de navegação sejam surpreendentes como o movimento das ondas. O prazer de navegar me tornou um Instagrammer Critic Sail e a ideia é continuar navegando e conhecendo embarcações, estilos, serviços, destinos e o melhor preço para se viajar pelo mar e para você escrever (… eu diria gravar, fotografar, enviar) sua cartas e histórias.

Venha viajar com o @semprepelomar. Será um prazer compartilhar o nascer e o pôr do sol com você no balanço do mar.

sergio-ignacio
Sergio Ignacio

Jornalista, psicanalista e pós graduado em sociopsicologia. Viajante desde cedo encontrou na relação com o mar uma forma de olhar para o continente e suas descobertas que o fez pensar e apreciar o tempo e as novidades por vir a partir do ritmo e da atmosfera dos oceanos.

Comentários

Comentários

Posts Relacionados

Leave a Comment

Sobre a autora

Olá! Meu nome é Patrícia Furlan e sou publicitária, futura psicanalista e apaixonada por viagens. Aqui você encontra minhas dicas de roteiros, cultura, gastronomia e experiências de turismo.

Booking.com
Reserva Agora 300x250