Fushimi Inari_capa

Roteiro de 4 dias em Quioto no Japão

O roteiro mais difícil de fazer no Japão foi o de Quioto. Isso porque a cidade possui muitos templos e santuários e fica difícil escolher só alguns para visitar.

Nesse post, listei os principais pontos turísticos que visitei porque a viagem fica cansativa se você só ficar de templo em templo. Vamos lá?

Dia 1 – Centro de Quioto, Nishiki Food Market e Museu de Mangá

Como estávamos cansados da viagem aproveitamos o primeiro dia para conhecer o centro de Quioto.

As áreas principais do centro são Gion, em que os turistas são apresentados a tradicional arte japonesa, seja através das vestimentas ou costumes e a área do Nishiki Food Market, que além do mercado central possui shopping com uma variedade grande de lojas.

Iguarias do Nishiki Food Market

Iguarias do Nishiki Food Market

Como essa área estava bem perto do nosso ryokan, aproveitamos para conhecer o Museu de Mangá de Quioto. Pra quem não sabe, mangá são histórias de quadrinhos japonesas.

manga_museum

manga_museum_kyoto

Dia 2 – Castelo de Nagoya e Kyoto Tower

O segundo dia em Quioto amanheceu com chuva, então ao invés de visitarmos templos (que geralmente possuem áreas totalmente abertas), optamos por ir de shinkansen até o Castelo de Nagoya.

Castelo de Nagoya

Castelo de Nagoya

Do centro da cidade até Nagoya dá cerca de 1h40 de trem bala. Você também consegue ir a partir de Osaka, que demora uns minutos a mais. Também vale a pena se você comprou o JR Pass.

Na volta aproveitamos para jantar e visitar a Kyoto Tower.

Tokyo_Tower

Dia 3 – Templo Kiyomizu-dera, Templo Tofukuji, Fushimi Inari e Arashiyama

Dia amanhaceu bonito para conhecer os templos.

Kiyomizu-dera

Kiyomizu-dera

Kiyomizu significa “água pura”. O Kiyomizu-dera é um dos principais templos da cidade e também é conhecido como “o templo do amor” graças ao santuário xintoísta Jishu Jinja, dedicado a um deus do amor.

placas_Kyoto

templo_do_amor

 

JishuJinja_Kyoto

Por lá os apaixonados fazem pedidos e os solteiros seguem rituais da sorte.

O Templo Tofukuji é o maior templo zen de Quioto, foi nossa parada depois do templo mais famoso da cidade.

Templo_Tofukuji

De lá fomos ao santuário Fushimi Inari-taisha, conhecido por seus “portões” japoneses. O templo está na base da montanha Inari e você pode subir bastante para conseguir uma foto só sua. Eu não fiz questão de ir até o topo porque depois de um tempo fica tudo igual rs.

gueixas_kyoto

Nossa última parada foi Arashiyama, ótima área para contemplar a natureza e tirar uma foto na floresta de bambus.

Arashiyama_Kyoto

Dia 4 – Templo Kinkakuji, aula de doces japoneses e um restaurante tradicional japonês

Outro templo muito famoso em Quioto é o Kinkakuji (templo de ouro), que pra mim foi um pouco decepcionante.

Kinkakuji_Kyoto

O templo é muito bonito mas os turistas não podem nem chegar perto, afinal ele é de ouro. Em Itapecirica da Serra, interior de São Paulo há uma réplica de mesmo nome em que os visitantes podem entrar no templo e desfrutar da natureza ao redor.

Como já estávamos há alguns dias no Japão, fugimos da rota com os templos e fomos fazer uma aula de doces japoneses. A aula era em japonês, mas tivemos a sorte de duas alunas traduzirem para nós.

Os doces que fizemos (e comemos)

Os doces que fizemos (e comemos)

A aula foi na Kanshundo Main Shop, mas a sinalização da loja era toda em japonês, vale a pena baixar o mapa offline antes de sair e precisa reservar antes por telefone (075-861-5488).

Sinalização local e o doce que ganhei do professor pelo meu esforço com o hashi rs

Sinalização local e o doce que ganhei do professor pelo meu esforço com o hashi rs

Finalizamos o dia no Musashi Sushi, restaurante tradicional frequentado pelos japoneses. Uma esteira passa diversos tipos de sushi e você come quantos quiser. O valor é cobrado por pratinho de sushi (130 ienes + taxas por prato), mesmo assim não fica mais caro que um restaurante japonês no Brasil (a menos que você coma uma quantidade absurda!).

musashi_sushi_kyoto

Turismo em Quioto

Antes de ir li em muitos blogs que Quioto era muito melhor que Tóquio. Apesar de gostar da minha experiência por lá, ficaria mais dias em Tóquio, tudo vai depender no seu interesse em história e cultura japonesa.

Andar em Quioto é mais fácil de ônibus, até porque os templos geralmente estão em áreas montanhosas e acaba sendo mais conveniente do que andar de trem.

Jishu_Jinja_Kyoto

O Castelo Imperial de Quioto parece ser bem bonito também, mas soube que só é possível visitar fazendo a reserva pessoalmente e você não pode tirar fotos.

Na minha opinião a nossa experiência na cidade foi bem mais sucedida depois da aula de doces japoneses e da hospedagem em um ryokan. Você encontra outros tipo de experiências também, como a cerimônia do chá que pretendo fazer quando voltar lá.

Melhor Câmbio Japão
Teve uma experiência diferente em Quioto? Coloque nos comentários.

Patricia Furlan

Publicitária, psicanalista e apaixonada por viagens.

Comentários

Comentários

Posts Relacionados

Leave a Comment

Sobre a autora

Olá! Meu nome é Patrícia Furlan e sou paulistana, publicitária, psicanalista e apaixonada por viagens! Aqui você encontra minhas dicas de roteiros, cultura, gastronomia e experiências de turismo.

Reserve seu hotel

Booking.com

Melhor cotação de câmbio

Japan Rail Pass

Seguro Viagem na Ásia

Seguro viagem asia 300x250