tonel-cachaca

Cachaça mineira: a arte de degustar uma bebida diferenciada

Se você já conhece o blog há um tempo, sabe que por aqui gostamos muito de gastronomia, cerveja, vinho, etc. Cachaça eu não sou muito fã, mas em São João del Rei descobri o verdadeiro motivo desse meu preconceito.

Ao visitar vinícolas e cervejarias artesanais é sempre visível o cuidado que eles geralmente tem com toda a cadeia de processos: escolha dos ingredientes, tempo de fermentação, etc. Já tinha visitado dois alambiques – um em Paraty, outro em Minas Gerais – e confesso que o processo era sempre bem mais “rústico” e os locais deixavam a higiene bastante a desejar. Mas como dizem que o álcool mata tudo, pode ser que o processo fosse aquele mesmo e eu talvez estivesse equivocada.

Foi depois de conhecer a cachaça Alferes que eu vi que eu não estava errada: é possível fazer uma cachaça de qualidade, que não desce “rasgando” e nem deixa você com aquele bafo de pinguço!

Numa fazenda em São João del Rei conhecemos o Hélio, dono da Alferes, que contou um pouco dessa história pra gente. Para ele chegar na receita que tem hoje, foi criado um processo todo sustentável desde a moagem até a fermentação. O cuidado com a bebida é tamanho, que ela só é engarrafada depois de ficar um ano no tonel. Além disso, por lá você só degusta a cachaça em pequenas taças de cristal, que é para o material influenciar o mínimo possível no sabor!

tonel-alferes

Engarrafamento da cachaça

Engarrafamento da cachaça

Imagino que a sua cara nesse momento, foi a mesma que eu fiz ao saber disso! Mas posso afirmar que eu provei e de fato a cachaça é a única que não deixa bafo e não desce rasgando! Por esse motivo existem mais de 100 alambiques só em São João del Rei e a Alferes é a única cachaça atestada pelo Ministério da Agricultura.

Você já provou cachaça assim?

Você já provou cachaça assim?

De fato a visita fez eu mudar completamente a visão que eu tinha da cachaça. Recomendo a todos que conheçam e se você já experimentou, deixe a sua opinião nos comentários!

A visita na Alferes pode ser agendada com a Rumos em Rotas em um tour que inclui outros alambiques. Veja mais informações clicando aqui.


A visita na Alferes foi uma cortesia da Rumos em Rotas para o blog Viagem de Fuga. Os comentários aqui descritos são independentes e relativos à experiência que tivemos na Alferes.

Patricia Furlan

Publicitária, futura psicanalista e apaixonada por viagens.

Comentários

Comentários

Posts Relacionados

1 Comment

  • Daiana Araújo setembro 22, 2016 10.52 pm

    E que arte! Muito boa,, é bem diferente do normal!

    Reply 

Leave a Comment

Sobre a autora

Olá! Meu nome é Patrícia Furlan e sou publicitária, futura psicanalista e apaixonada por viagens. Aqui você encontra minhas dicas de roteiros, cultura, gastronomia e experiências de turismo.

Booking.com
Reserva Agora 300x250